O financiamento estudantil é, muitas vezes, a alternativa mais viável para quem tem o sonho de se formar no Ensino Superior. Existem diversas opções com condições diferenciadas, o que facilita consideravelmente o ingresso em um curso de graduação ou até de pós-graduação.

O financiamento é um tipo de empréstimo que pode ser pago após a formação acadêmica, quando o indivíduo já está empregado. No entanto, a depender da modalidade e, principalmente, da faculdade, também há a possibilidade de conseguir uma bolsa total ou parcial, o que alivia o custo da mensalidade.

Leia o post e descubra como funciona, como escolher e quais são as maiores vantagens do financiamento estudantil!

O que é financiamento estudantil?

O financiamento estudantil consiste em um programa de empréstimo que auxilia os estudantes a pagarem as mensalidades da faculdade. Um tipo bastante conhecido é o FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), criado pelo Ministério da Educação (MEC).

Ao solicitá-lo, o aluno fica responsável por pagar todo ou parte do valor das mensalidades. Ao longo do curso, portanto, o discente acumula uma dívida que pode ser paga durante os estudos ou após a conclusão da faculdade. No entanto, isso vai depender muito do tipo de programa escolhido.

O serviço também pode ser oferecido pela própria instituição de ensino em parceria com um banco ou ainda com o Governo Federal. Também existem linhas de crédito que são voltadas para novos alunos, mas essa alternativa conta com regras específicas para a participação e costuma ser mais difícil de se encontrar.

Os programas de financiamento estudantil podem ser públicos ou privados. É importante conhecer as características de cada modalidade para tomar uma boa decisão antes de ingressar em uma instituição de Ensino Superior e optar por um curso.

Como funciona?

Os programas de financiamento estudantil costumam funcionar como um tipo de empréstimo, em que o aluno deve se responsabilizar e comprometer-se a pagar a dívida. O financiamento pode incluir cursos de graduação, de pós-graduação e MBA.

O processo de inscrição e de participação varia de uma instituição para outra. O financiamento privado, por exemplo, pode dispensar pré-requisitos que são comuns nos públicos. De qualquer maneira, é bem fácil encontrar opções de crédito estudantil em bancos.

O financiamento pode ser total ou parcial, e o benefício, muitas vezes, é utilizado em conjunto com bolsas de estudo. Em grande parte dos casos, os bancos realizam uma análise de crédito e, se o candidato for aprovado, concedem o valor equivalente aos semestres do curso escolhido.

A renovação pode ser negociada e feita a cada novo período. As condições de pagamento podem variar bastante a depender da faculdade e do banco. Portanto, é essencial que o contrato de financiamento estudantil seja feito em uma instituição confiável e transparente.

Quais são os principais tipos de financiamento?

Atualmente, o aluno encontra algumas opções de financiamento estudantil para dar início aos estudos no Ensino Superior. Um dos programas mais conhecidos é o FIES, oferecido pelo Governo Federal em parceria com a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil. O FIES concede linhas de crédito com condições exclusivas para quem deseja ingressar em uma faculdade.

Outra possibilidade é o financiamento por meio dos bancos, o que amplia as possibilidades de acesso. No entanto, para participar, o estudante deve ter vínculo com a instituição e passar por uma avaliação de crédito. Caso você tenha o nome negativado, por exemplo, as chances de conseguir um financiamento desse tipo são reduzidas.

Algumas faculdades, como dito, também contam com programas de financiamento estudantil em conjunto com a oferta de bolsas de estudo. Os critérios de participação variam de uma instituição para outra, mas, em geral, os alunos são classificados por ordem de desempenho no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Antes de escolher uma modalidade de financiamento, é essencial considerar os pré-requisitos e as facilidades que cada programa oferece. Ao se matricular na faculdade, vale a pena também analisar quais são as condições exigidas para iniciar o quanto antes a jornada no Ensino Superior.

Como escolher um financiamento estudantil?

Para acertar na escolha do financiamento estudantil, é importante ter alguns cuidados. O primeiro deles é avaliar se o serviço oferece benefícios diferenciados e uma taxa de juros atualizada e adequada para o seu bolso.

A instituição que o oferta também deve ser confiável e segura, além de ser transparente em seus procedimentos. Verifique também quais são os canais de atendimento aos quais você terá acesso após fechar o contrato.

Além das condições de pagamento, outro critério a ser considerado é a qualidade da faculdade vinculada ao financiamento. Em alguns casos, por exemplo, a taxa de juros pode ser reduzida ou, até mesmo, eliminada, quando a instituição de ensino conta com parcerias para fornecer o serviço a seus alunos.

Quais são os passos necessários para conseguir um?

Antes de solicitar um financiamento estudantil, vale a pena considerar se você é capaz de arcar com os valores da mensalidade. Até porque o financiamento vai gerar uma dívida, que pode ser paga gradualmente, durante ou após o término do curso.

De qualquer maneira, é fundamental ser criterioso no momento de escolher um programa. Você deve reunir toda a documentação necessária para a solicitação do financiamento e manter-se atento em relação aos prazos de entrega.

Outra dica é contar com um garantidor ou avalista, que deve apresentar uma faixa de renda mínima e um grau de parentesco adequado, de acordo com as regras do programa. Antes de solicitar o financiamento, é importante se planejar financeiramente para que as parcelas caibam no seu bolso.

Pesquisar as opções disponíveis oferecidas pela faculdade que você deseja estudar também é fundamental. Em alguns casos, ela pode ter parcerias com as instituições de crédito estudantil, o que facilita consideravelmente o processo para o aluno.

Quais são as vantagens?

São inúmeras as vantagens de ingressar no Ensino Superior com um programa de financiamento estudantil. O discente não precisa se preocupar em pagar as mensalidades e, em alguns casos, a dívida pode ser quitada apenas após a conclusão do curso.

Outro benefício tem relação com a taxa de juros, que é significativamente mais baixa do que um empréstimo convencional. Quando o aluno opta por um programa da própria faculdade, inclusive, essas taxas podem ser quase eliminadas, como dito, pois as parcerias firmadas entre as instituições favorecem a permanência do estudante.

A facilidade de contratação também é outra vantagem que atrai muitas pessoas. Em geral, são exigidos pré-requisitos, critérios e condições básicas para o ingresso no programa, pois a ideia é justamente agilizar o processo e possibilitar a entrada mais rápida na faculdade.

Portanto, antes de escolher uma instituição para iniciar os estudos no Ensino Superior, é muito importante avaliar se a unidade oferece a possibilidade de financiamento estudantil. A Faculdade Arnaldo, por exemplo, trabalha com algumas opções visando a facilitar o ingresso dos estudantes.

Por isso, entre em contato com a nossa equipe agora mesmo e entenda como podemos ajudar você a iniciar os estudos no Ensino Superior!